Comentários estão desligados para este post

Viagem do Papa Francisco ao Chile e ao Peru

De 15 a 22 de janeiro, o Papa Francisco regressa pela quarta vez à América Latina para uma visita apostólica ao Chile e ao Peru. O encontro com indígenas da floresta amazónica, oriundos do Peru, Bolívia e Brasil, será um dos pontos altos da viagem do Santo Padre.

A viagem, que conduz primeiro o Santo Padre ao Chile, é marcada, na manhã de 16 de janeiro, por encontros oficiais com as autoridades, a sociedade civil, o corpo diplomático e com a Presidente da República, Michelle Bachelet, em Santiago do Chile. Às 10h30, o Parque O’Higgins, localizado na capital chilena, acolhe a celebração da santa missa. No período da tarde, o Santo Padre visita, às 16h00, o Centro Penitenciário Feminino de Santiago e participa, às 17h15, num encontro com sacerdotes, religiosos, religiosas, consagrados e seminaristas na catedral de Santiago. Já na sacristia da catedral, o Santo Padre reúne, às 18h15, com os bispos. O Santuário de São Alberto Hurtado, sj, é o último local visitado pelo Papa Francisco neste primeiro dia de visita oficial, que decorre sobre o lema ‘Dou-vos a minha paz’. Neste local, o Sumo Pontífice tem, às 19h15, um encontro privado com os sacerdotes da Companhia de Jesus.

Dia 17 de janeiro, Francisco parte para Temuco, a sul da capital, e celebra, às 10h30, uma Eucaristia no aeroporto de Maquehue. Segue-se, às 12h45, o almoço com alguns habitantes da região de Araucanía na Casa ‘Madre de la Santa Cruz’, instituição dedicada à formação de crianças e jovens. Regressado a Santiago do Chile, o Santo Padre reúne, às 17h30, com os jovens chilenos no Santuário de Maipu, dedicado a Nossa Senhora do Carmo, padroeira do Chile. Este encontro decorre no ano em que se celebram 200 anos da promessa de construção do santuário pelo povo chileno. O programa deste dia termina com a visita à Pontifícia Universidade Católica do Chile, às 19h00.

A viagem do Papa Francisco ao Chile termina a 18 de janeiro com a visita à cidade de Iquique, no norte do país, marcada pela celebração eucarística no Campus Lobito, às 11h30, e pelo almoço com a comitiva papal na ‘Casa de Retiros do Santuário de Nossa Senhora de Lourdes’, dos Padres Oblatos.

Chegado a Lima, no Peru, durante a tarde de 18 de janeiro, o Santo Padre parte na manhã seguinte para Puerto Maldonado, na floresta amazónica, onde se reúne, às 10h30, com membros dos povos da Amazónia no Centro Regional Madre de Dios. De acordo com o bispo do Vicariato Apostólico de Puerto Maldonado, D. David Martínez Aguirre, foram enviados aos povos indígenas convites para participarem no encontro com a frase ‘O Papa Francisco vem para vos ver’. O responsável espera que, através deste encontro, os povos da Amazónia “sejam reconhecidos como protagonistas importantes” na tomada de decisões relativas aos recursos da floresta amazónica, “não apenas nas que afetam os seus territórios”, mas também a nível nacional e mundial. Como enfatiza do Papa Francisco na encíclica ‘Laudato Si’, para as comunidades indígenas “a terra não é um bem económico, mas um dom gratuito de Deus e dos antepassados que nela descansam, um espaço sagrado com o qual precisam de interagir para manter a sua identidade e os seus valores”. Alvo de pressões para deixarem os seus territórios, os povos indígenas enfrentam os interesses das indústrias extrativas e agro-pecuárias que “não prestam atenção à degradação da natureza e da cultura”.

Às 11h30, o Santo Padre tem um encontro com a população local no Instituto Jorge Basadre, instituição pública de ensino superior e tecnológico. As crianças do Lar Principito, vítimas de maus tratos e sem-abrigo, recebem, às 12h15, o Papa Francisco, que almoça com representantes dos povos da floresta amazónica, no Centro Pastoral ‘Apaktone’ (‘pai velho’ na língua dos Harakbut). O Sumo Pontífice regressa a Lima durante a tarde, onde tem um encontro com as autoridades, membros da sociedade civil, corpo diplomático e com o Presidente da República, Pedro Pablo Kuczynski. Às 17h55, Francisco reúne em privado com os membros da Companhia de Jesus na Igreja de São Pedro.

A viagem, sob o mote ‘Unidos pela Esperança’, prossegue, a 20 de janeiro, para Trujillo, no norte do Peru, onde se celebra, às 10h00, uma Eucaristia na estância balnear de Huanchaco. Depois da visita de papamóvel pelo bairro ‘Buenos Aires’, em Trujillo, às 12h15, o Papa visita a Catedral, às 15h00, reunindo-se, depois com sacerdotes, religiosos, religiosas e seminaristas do norte do Peru no Colégio Seminário SS. Carlos e Marcelo. A visita a Trujillo termina com a celebração mariana à Virgem da Porta na Praça de Armas, às 16h45.

No último dia da viagem, Francisco participa na oração da Hora Média, às 9h15, com as religiosas de vida contemplativa no Santuário das Nazarenas, onde se encontra o mural do Senhor dos Milagres. Às 10h30, o Santo Padre faz uma oração junto às relíquias dos Santos peruanos na Catedral de Lima. Após o encontro com os bispos no Palácio Arcebispal, o Papa dirige-se à população na Praça das Armas, para o Angelus dominical.

O Papa Francisco regressa a Roma no final da tarde de dia 21 de janeiro, aterrando na capital italiana às 14h15 de 22 de janeiro.